quinta-feira, 22 de junho de 2017

Festejos






É por baixo da minha varanda que actuam os artistas que o município contrata durante o mês de festejos do santo padroeiro. Neste momento, está lá um que faz de conta que se esforça, berrando. Não o ouviria mais alto se estivesse aqui sentado ao meu lado. O meu filho admira-se quando digo que vou dormir. Como consegues? - Consigo. Só não consigo se não meditar.






esta









o calor destes dias entranhou-se-me no corpo e ficou. os incêndios entranharam-se-me na alma e ficaram. acordo a meio da noite e a minha pele está a ferver, durante o dia pesa-me o corpo e falta-me o riso. não sou eu esta que tomou conta de mim.
as horas que o dia me oferece não chegam para o que preciso. enervo-me com assuntos sem importância e isso faz-me adoecer. cada vez tenho menos figuras de estilo para enfeitar a minha escrita e o meu coração parece um figo seco, olha uma figura, e nem sofro nem me alegro por amor. 
acho que o criador fala comigo e não o entendo. enquanto isso, mirro.